Campolargo

Martinho Campolargo, lavrador de Mogofores, produzia vinho tinto e, sendo um dos raros vinificadores que separava as uvas brancas das tintas, fazia um belíssimo e famoso vinho branco. Ambos eram vendidos a granel a casas de negócio da região que o engarrafavam. Tendo falecido em finais dos anos sessenta do século passado, tomou então a seu cargo a totalidade da exploração, o seu filho, Manuel dos Santos Campolargo, cujas vinhas modernizou e ampliou, deixando no entanto de produzir vinho para o mercado. Em meados dos anos noventa, deram início a ensaios de vinificação com as diversas castas entretanto plantadas (muitas das quais o foram pela primeira vez na região). Tomaram então a decisão de começar a vinificar para o mercado e de construir uma nova adega. Os primeiros vinhos da marca Campolargo foram os da colheita de 2000, sendo que a nova adega apenas foi construída em 2004. Atualmente, a terceira geração é responsável pela vinha, Jorge Campolargo, e pela adega e vendas, Carlos Campolargo. Mas tem já a colaboração da quarta geração, Joana Campolargo, que assegura o apoio administrativo e as relações externas. Querem, pois, manter e prosseguir o carácter exclusivamente familiar da sua vitivinicultura.